segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Cinza


Sabe quando você acorda e nada faz sentido?
Quando você tem aquela sensação de que tudo,
Mas absolutamente tudo mesmo ao seu redor,
Perdeu o brilho, o aroma, a cor
E não passa de um grande buraco cinza sem vida
Como se até os deuses estivessem fora do seu alcance...
Não, depressão ainda não é assim
Ela é fria e fria e quente ao mesmo tempo
É azul e vermelho como o mar e o sangue
São dois opostos extremos que te canduzem lentamente,
Como na valsa da morte,
Até um local dentro de você mesmo
Sem luz e sem sombra.
Aí sim você encontrou a depressão
O mais profundo e inexplicável local em sua alma
Onde poucos tem a real coragem de imaginar
Ou mesmo visitar por um instante...
A questão tratada não é a depressão
É uma coisa diferente
Que consegue ser tão convidade à obscuridade quanto ela,
Mas você simplesmente não sente quando essa coisa chega
E tira tanta coisa de você sem esforço algum...
Certa vez me disseram que era crescimento
Que todos os encarnados são obrigados a passar por algo assim
E que nada se podia fazer para intervir nesse estágio
Como parte de um plano maior de crescimento astral.
Na mais pura inocência que ainda me sobra,
Eu me perguntei em silêncio,
"Por que o cosmos nos faria passar por isso?"
E o próprio silêncio respondeu
Com todas as letras as palavras não foram ditas
E a única coisa que restou foi o silêncio do silêncio...
Confuso? Triste? Fim?
Nada é tão ruim que não melhore
E nada é tão bom que não chegue ao final mais rápido.
Tudo girando e girando num ciclo intenso e interminável
Onde cada um é regido por uma variante do Chaos
Que insiste em nos lembrar que os sonhos são meramente desejos
Um apego irreal à um tempo que,
Somente agora você percebe,
Passou deixando somente os cacos de cristal dos planos e fantasias
E tudo que lhe sobra são palvras soltas
Recheadas com a mais cruel falsidade
Onde as trocamos as juras de amor eterno
Onde as estrelas mediam o tamanho do carinho e afeto,
Agora são apenas palavras vazias e sem sentido ou força
Frases feitas tiradas de um caminhão enferrujado
Para simbolizar algo que morreu dentro de você...
Outro dia liguei para um velho amigo
"E ai, tudo bem? Como você tá?
Nossa, você tá sumido! Que tem feito?
Bom, depois nos falamos. Beijos"
Parece uma conversa normal, certo?
As diferenças começam aqui:
Agora mesmo encontrei com um conhecido
E a conversa foi exatamente a mesma,
Como um descurso político e repetitivo
Sem alma ou emoção alguma.
Por que eu estou falando tanta coisa?
Porque é melhor escrever do que magoar as pessoas
Mesmo aquelas que te magoam sem saber...
O que antes tinha valor inestimável,
Hoje não representa absolutamente nada
E assim as coisas mudam e perdem o sentido
Dando espaço para um novo pensamento,
Um novo caminho onde nada do que foi retorna...
Como descobrir esse caminho?
Basta olhar para o céu com calma
E ver que o cinza já se foi e o azul retornou
Assim como a solidão acaba mais cedo ou mais tarde
E você já não faz falta alguma...


Igor Padua

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Sentido



Quando não se despede de alguém,
Alguma coisa ou lugar
Isso volta sempre pra te atormentar
Até mesmo quando não há mais motivos
Ou justificativas para que volte...
Mesmo quanto já sabemos de tudo isso
E conhecemos a angústia do passado,
O futuro parece menos agradável
Agora que o presente se mostra
Cada vez mais como um cela fria ao luar.
A mesma Lua que troca carícias comigo
Agora ilumina com sua palidez
A pesada e triste fumaça que entranha
Dos fios do lençol cinzento
Até a última gota de energia do meu corpo...
Quando nada mais faz sentido
E tudo que sempre te levou a crer,
Mostra como o mundo é amargo
Como toda sua fantasia inocente
É vendida em cápsulas de receitas ilegais
Ao preço dos casulos de aço
Das borboletas sem cor
Que riscam o mundo sem vida.
Não há mais espaço pra você
Entre os castelos de rubis
Onde tão somente restam
Poços secos das sensações vivas.
Toda uma obra eterna
Contruída e remodelada no tempo
Sempre ávida e rica nas cores
Num gozo extremo do prazer divino,
Feita para ser vivida e amada
Desbravada como as florestas
E degustada como um banquete,
Pois na intensidade do saber
É que a Natureza oferece seus frutos,
E quando for preciso agir,
Cobra nossas ações com força..!
Aquilo que te forta;ece
Sempre será aquilo que te mata.
E assim o que sempre te motivou
Já não possui sentido algum...

Igor Padua

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Natural

O Sol das bruxas está mais brilhante
Num anúncio de uma colheita farta
De uma primavera tranquila
Para que o amor floresça sem medos
Onde o predador e a presa se tornam amantes
Entre os véus da noite salpicada de estrelas...
Numa noite agradávelde primavera
A face virgem caminhava silenciosa no bosque das fadas
Pisando tão suave quanto o vento sobre o orvalho da grama,
Observando o florescer do gozo entre os seres
Vagando nas brumas de sua mente tranquila
Numa paz tão interna e externa,
Que não reparou a luz da fogueira
Enquanto adentrava a clareira enluarada...
Um silêncio reconfortante parirando no ar
Quando um jovem druida de ar sereno
Lhe sorriu com uma felicidade serena dos deuses
Enquanto puxava uma flauta para beijar-lhe
E soprar notas sagradas e secretas dos druidas
Na melodia capaz de curar a alma.
À medida que o jovem druida tocava,
Uma figura divina e galhada se mostrava
Como se o som da flauta fosse uma invocação aos deuses
Um chamado de apelo ao grande galhudo
Senhor das matas encantadas
Quase tão antigo quanto a Mãe.
O pulsar viril tomou conta do corpo
E no mais puro e inocente desejo
Aquela minha virgindade implurou para desaparecer
Como se meu corpo a rejeitasse
Sentindo que um amor e uma paixão,
Tão fortes quanto a vida em si,
Me dominavam e explodiam!
Olhando com o mesmo sentimento terno,
Aquele doce e belo jovem caminhou até mim
E como se aquela figura divina fosse carnal,
Fui abraçado por um manto aconchegante
Tão denso quanto a noite
E macio como as nuvens do verão,
Para que nossos corpos sentissem a energia
De um misto de vibrações e magia
Na mesma pureza que ele me beijou
E lentamente me deitou na grama humida...
Unir dois corpos e duas almas
Entre as forças da primavera
Com o mais poderoso e sagrado feitiço!
Após a união cósmica de nossos corpos,
Olhamos para aquele ser divino,
Sereno como o mar
E irradiante como o Sol
Que nos retribuiu com um sorriso
Simples que continha toda alegria do mundo.
O jovem druida me olhou sereno
Enquanto afagava meus cabelos
E me perguntou calmamente
"Você acha que foi errado?"
Sem esforço ou impedimento,
Me aninhei junto ao coração pulsante
Como um gato que descança tranquilo
E respondi com o mesmo sorriso divino
"Se os deuses não questionaram nada
E o Senhor das matas nos sorris com tanta alegria,
Como podemos estar errados?"
Um beijo calou o silêncio da noite
E o Sol mostrou aos dois jovens homens ali
Que nada mais era preciso,
Pois a Mãe já havia mostrado
O quão natural é o amor
Seja você humano ou não..!

Igor Padua

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Memórias


Acho extremamente engraçado
O rumo das curvas do destino.
Num dia de outono no conhecemos
E várias luas depois,
Durante uma noite de fim de inverno,
Tudo desmorona...
Sinto falta da fuga encantada
Que sempre tive no som de tuas palavras,
Do carinho único que só floresce
Entre nossos dedos entrelaçados,
Do companherismo de nossas confidências,
Do sentimento que foi sufocado pela pressão da ausência...
Consigo me desligar de ti durante as horas que o mundo carnal,
Abençoado pelo Sol,
Esconde tua face terna.
Durante as horas que passo namroando a Lua
E cantando os mais belos lamentos de amor,
Sua lembrança volta como uma espada
Que transpassa e dilacera meu coração remendado.
Começo a pensar de uma mistura clara
Das mais confusas e estranhas
Que não valeu nada ter jogado fora nossa história
Sem ter lutado um pouco...
Mais intenso nas palavras que você só ouviu
Enquanto dormia no mais terno e caloroso dos meus abraços,
Onde a mente não parava de trabalhar
No mundo que você nunca esqueceu,
Onde o sentimento aflorava entre os dois
E nascia o maior medo entre os olhares
Dos pensamentos não revelados...
O medo de um perder o outro,
De se machucarem
Ou machucar quem nos faz bem.
Agora que o medo se concretizou,
Qual o passo seguinte?
Não sou frio ao ponto de agir
Como se nunca tivessemos vivido nada,
Como se fossemos apenas amigos de longa data.
Não amor,
Não finja que você tem essa frieza,
Pois lhe conheço bem demais.
Seu segredo é pensar sempre com a razão
Do que lhe preenche os bolsos,
Enquanto eu prefiro pensar na fonte
Do meu mais puro ser,
Na razão do que preenche minha alma...
Um amor mais antigo que o tempo
Foi redescoberto,
Mas não vivido.
Um segundo amor lhe fora destinado e ambos,
Sofrendo na alma,
Jogamos pela janela o que a Deusa nos deus
Como recompensa por tanta dor...
Nosso erro?
Egoísmo.
Nosso preço?
Memórias...

Igor Padua

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Sorriso



As coisas são realmente simples quando não pensamos nelas...
Gostaria que cada dia passa nesse meu mundo imaginário de páginas envelhecidas
Um pouco da sua cor tão cativante pudesse fazer parte,
Mesmo que durante uma breve aparição,
Do meu livro colorido da vida...
Entre as linhas tortas com palavras indecentes
E os borrões que seguem como cicatrizes em um corpo
Descrevendo e escrevendo uma parte dessa história tão incerta
De Sol e Lua tatuados sobre a flor-de-lótus
Que indecentemente insiste em cativar um pouco mais
Com aquela fragrância penetrante que exala do teu mais íntimo
E me hipnotiza como um par de olhos na escuridão.
Como um simples olhar te domina tanto?
Um sorriso que completa com o seu
E te ilumina de tal forma
Que nada mais parece ter o mesmo sentido
E sua vida inteira começa a fazer sentido
Mesmo nas escolhas mais estranhas...
Acordar desse sonho foi tão difícil
Quanto dormir sem você
E nada tem mais valor na vida
Do que acordar com esse sorriso lindo
E oferecer o mais simples e lindo sorriso de gato em troca..!

Igor Padua

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Gosto


Subindo a montanha de dúvidas da vida,
Encontrei um lugar lindo de água cristalina onde eu vi você
Aquele corpo que deixava o mundo com inveja
Estava ali puro e ingênuo ao meu alcance...
Seu olhar é tão mortal quanto o de uma górgona,
Mas nem mesmo isso conseguiu me afastar de ti
Porque o que mais me encanta em você
É esse teu jeito tão explosivo e cheio de carinho
E que sempre faz e fala tudo pra me agradar.
Sempre me levando com o mesmo jogo de palavras
Usando as mesmas armas que eu
Armas que eu não sei me defender
E nem sei ao certo se quero me defender,
Pois o que vem de você é muito melhor
É doce como o amanhecer
Com uma pitada de chuva de verão
Para que o gosto fique mais agradável ao nosso corpo...
Gosto de suor e lágrimas invadem minha boca
E atravessam até sua alma...
Vamos fugir?

Igor Padua

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Fogo


Vamos acender as fogueiras de nosos corpos
E espalhar esse calor que se alastra da alma
Até atingir o mais profundo do centro da Grande Mãe
São as fogueiras do amor e da paixão!
Permita esse fogo aquecer seu coração e ame o próximo
Salve as fogueiras de Beltaine!
Venha dançar essa noite comigo caçadora...
Venha deitar ao lado de seu consorte nessa noite de lua
Para que de nosso encontro floresca o mais belo dos amores
E que ele se espalhe pelo mundo afora!
Dance junto com o vento que percorre o céu estrelado
Deixe o fogo aquecer sua alma e liberar seu amor
Que este acolha a todos que a ti procurarem
Como uma mãe que oferece o colo ao filho
A esposa que apoia o marido
E até mesmo a idosa que aconcelha aos jovens.
Venha celebrar esta noite mágica
Com quem mais te deseja e ama
Porque o tempo fez com que esse sentimento puro
Se intensificasse mais e mais!
Essa é a noite do fogo purificador,
Assim seja entre o fogo e o amor !


Feliz Beltaine para os bruxos e bruxas do hemisfério sul!! \o/\o/

Igor Padua

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Flor

Acho que estou cansado demais,
Pois começo a sentir algo aqui dentro
Um desejo estranhamente forte...
Não sei dizer se é uma forma de defesa
Por todo o sofrimento decorrido,
Se é um instinto natural
Como um animal que espera por sua presa,
Ou até mesmo se é um fruto indesejado
Do convívio solitário dos últimos tempos.
Todo aquele fogo que sempre aqueceu à tantos Sois
Agora anseia por sua Lua imortal
Por um toque suave das pétalas da primavera,
Consome uma fúria carnal
Que faz alimentar a tentação contida
Em ndesabrochar a mais cálida das flores
No mais íntimo de tuas pernas lisas
As coxas que me prendem sem força alguma...
Defeito?
Assim será chamado por muitos
Como tantos outros que dirão
Que mais uma alma foi salva por seu Pai...
Para entrar no reino dos céus
Eu devo despetalar as flores sagradas
Enquanto fico ouvindo os lamentos sóbrios
Das paredes frias que fanatizam Deus?
Venho de uma linhagem que não pensa assim,
Pois o reino detrás das brumas
Onde minha Mãe caminha livremente
Não se importa com tais dogmas abortados do irracional...
O que faz você amar de forma tão pura
É a mesma força que te faz desejar com tanto fervor?
Sol e Lua são iguais
E um não vive sem o outro,
Mas então por que ambos vivem tão só
Na companhia de seus iguais?
Flores de estrelas consolando a Lua
Enquanto o Sol penetra tudo com seus raios aconchegantes...
Hoje, mais do que nunca,
Não entendo nada ao meu redor,
Mas sei o que quero e necessito
E no momento anseio por tua flor..!
Momento final ou passageiro?
Ainda não sei ao certo,
Mas será intenso e verdadeiro..!
Só se ama a Lua verdadeiramente
Uma única e eterna vez...

Igor Padua

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Obediência

É isso mesmo meu bem,
Eu sou extremamente obediênte a você..!
Nem se dê ao trabalho de entender minhas palavras,
Pois mesmo que fosse sua real vontade
Ainda assim não adiantaria
Não pra você que é tão diferente e tão igual a tudo isso...
Eu pedi tanto pra que as coisas fossem um pouco deferentes entre nós dois,
Mas é claro que seu maldito ego não podia deixar isso acontecer
Porque seria muito fácil para o caos me deixar em paz uma única vez
E meu casamento com ele não é assim...
Eu passei tanto tempo com você aqui dentro
Que quando consegui afastar sua presença etérea do meu ser um pouco,
A novidade se mostra como guerra
E eu acabo me afastando entre mortos e feridos
E sua entorpecência de volta!
"Agora podemos tentar algo"
Pensou o ingênuo ainda jovem.
E mais uma vez aquela esposa vadia e ciumenta se prontificou
E maculou mais uma história de possível felicidade...
Não não!!!
O momento não me permite ficar lamento por nada
Nem mesmo por ti que não me é prometido
Que só me olha com esse affair carnal
O que nem de perto eu quero...
Mas como diz na música
"Perceba que não tem como saber
São só os seus palpites na sua mão
Sou mais do que seu olho pode ver
Só não desonre o meu nome"
E você sempre fez questão de esconder meu nome
E acabava me esquecendo entre as desonras do seu mundo.
Minha obediência à você morreu na mesma noite
Em que minha cabeça já não tinha mais como abaixar,
Pois a própria terra me amparava.
O cãozinho que sempre esteve disposto à te confortar
Agora se afasta silenciosamente num farfalhar dos pensamentos
E ao menor sinal da sua aproximação,
Mostra os dentes e ataca sem pressa
Como um lobo que pula na jugular da presa
E consegue manter os batimentos controlados...
Não quero e nem vou atacar você,
Mas minha alma está mais do que pronta
Para se proteger de qualquer coisa que venha,
Tanto de você, quanto de qualquer outro...
O novo sempre vem
Minha lua está se aproximando de seu ápice
Quase consegue encontrar o Sol
E sua lembrança já se torna uma sombra no deserto
Inexistente e imprecisa
De tal forma que nem me faz mais falta...
Por isso que obediência deve sempre ser pesada
E um dia acaba
Do mesmo que todo carnaval tem seu fim...


Igor Padua

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cansei

Por que eu tive que mudar tudo?
Joguei fora meu nome, minha base,
Minha força de vontade, só para estar ao teu lado...
Chorei tanto até chegar à você
Que agora choro o dobro por ter perdido
Quem deu sentido à minha vida...
Adiantou me vestirbem?
Me arrumar tanto?
Mudar de cidade por você?
Hoje você não me olha e nem me dirige a palavra...
Dói mais saber que você também sente minha falta,
Mas já estou sem forças pra lutar contra tudo de bom
Que você é em mim..!
Mesmo sabendo que não posso,
Minha vontade é correr até você,
Te abraçar, te beijar, te olhar a alma
E dizer o quanto te amo!
Não farei isso..!
Estou lutando contra isso
E contra a vontade de fugir,
Voltar correndo para minha infeliz distância de você...
Como cansei de chorar e sofrer,
Agora só me resta olhar para frente
E seguir toda a solidão sem você
Até o novo chegar e,
Talvez, você me perder
Para todo o sempre que jamais nos coube viver...


Igor Padua

Conhecer

Ainda me pergunto como tudo
Chegou à esse ponto?
De um rumo tão terno e vívido,
Encerramos a conversa com
"Um dia"...
E eu te olhava com tanto amor
Que você correu de mim..!
Outro dia eu vi uma conversa nossa
Com tanto carinho, tanto amor
Ao mesmo tempo em que as músicas diziam
O quanto eu te amo
E o quanto eu sofro sem você...
Mas eu me canso tanto disso
Que mesmo sentindo sua falta,
Coloco um fim nisso.
Se meu amor não curou seu medo
Não vejo mais nada entre nós...
Sabe, nunca me entreguei antes
Como fiz com você
E minha recompensa foi um tapa,
Um coração destruído, toda uma dor
Que demorei tanto para esquecer
E mais ainda para curar...
Já não consigo achar o sentido
Em tudo que vivemos
Ou mesmo no quanto mudei
E você nem percebeu...
A vida é assim, eu sei,
Mas por que tudo isso?
Será que estou tão ferido
Que começo à te odiar?
Não meu amor,
Nossa história não será trágica,
Mas quem te ama cansou de chorar
Enquanto esperava por ti, coração.
Minha raiva está tão calada
Por tanta dor e por um belo sorriso
Que mais ninguém me conhece...
E pensando melhor,
Agora que meu mundo foi destroçado,
E começa a renascer do seu nada
Percebo que essa dor só me faz ver
Que nem eu mesmo me conheço mais...
Como você, que não tem coragem,
Poderia me conhecer então?


Igor Padua

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Nosso

Como se explica um sentimento?
Quando algo assim acontece tão repentinamente
Dentro de um espaço mágico de olhares brilhantes
E num tempo tão distante do início de tudo isso
E próximo de uma pausa injusta...
Mesmo com todas as desvantagens ao nosso redor
A luta por toda essa emoção aqui dentro continua
E se intensifica a cada dia mais e mais
Até o ponto em que eu enfrentaria
A mais mortal ira de todo Panteão Olímpico
Só pra ter a chance de estar em teus braços outra vez
E ali mesmo permanecer tranquilo
Até o dia que as estrelas se apaguem,
Pois antes disso não me é permitido deixar você..!
De todos os meus medos e receios,
Nenhum deles foi antes tão perturbador
Quanto esse sinto em ter que deixar-te ir...
Começo a por os pés no chão frio
E me dou conta que é melhor assim para ambos,
Mas isso não quer dizer que estou desistindo de ti!
Ao contrário disso,
Estou mais disposto ainda a te ter comigo
Para sempre e muito mais além
Num lugar só nosso
Como entre as brumas que nos cercaram certa noite
E nos protegeram das vistas indesejadas
Permitindo que esse sentimento aqui dentro florescesse
Como o que esta ai dentro e cresce a cada instante
Nos dominando silenciosamente
Preenchendo cada pedaço entre nós dois...
Num mundo frio e sem sentido
Onde nada parece importar tanto para as pessoas,
Sentir o que estamos vivendo
E viver o que estamos sentindo
É um privilégio raro
Que eu não posso privar nenhum de nós...
Entregue-se ao que eu me entrego,
Pois eu sei que você já sente
O mesmo que eu sinto
E de uma forma ou de outra,
Isso é a unica coisa que importa agora...
Esse momento único que perdura
Durante toda a eternidade de nossos corações,
Porque é sempre tudo NOSSO..!!




Igor Padua


E como diria Vinícius
"Que seja imortal, posto que é chama
Mas que seja eterno enquanto dure."

terça-feira, 12 de julho de 2011

Sintonia

O que você vê quando se olha no espelho?
Ontem meu mundo parecia tão perdido e vazio
Sentia algo a menos por dentro e por fora
E nada fazia sentido...
Simplesmente encontrei você
E o mundo inteiro voltou a ter aquela cor doce
Que só encontro no teu olhar,
Na tua energia envolvente
E em tudo mais que nos une.
Quando acordei na madrugada
Me dei conta de que era você a resposta
Como me doeu a espera da certeza
Um simples feitiço foi recitado
Com toda força e pureza que se poderia concentrar
Em uma simples troca de olhares...

Sim, meu bem, continuo a me perguntar
E agora com mais fervor
O que você fez comigo?
Por que só agora?
Confesso que não imaginava nada assim nas minhas insanidades
Um certo receio por algo bom que se aproxima...
Não gosto dessa sensação de auto-questionar o inquestionável,
Pois de nada adianta lutar contra o destino
Ou mesmo indagá-lo de alguma forma.
Sentir seu corpo junto ao meu,
Sua boca de marcas secretas do meu agrado,
Seu "cheiro falso" que entranhou nas minhas roupas
E mesmo seu "cheiro verdadeiro" que me fazia delirar
Toda vez que te apertava bem firme nos meus braços
E você fantasiava com minha respiração ao pé do seu ouvido...
Íntimos e pequenos detalhes de uma simples troca de carícias
Em uma noite tão cheia de bons fluidos,
Que até os deuses sentiram alegria sob o olhar da Lua...
Agora meu anjo guerreiro de asas coloridas,
O que eu posso fazer diante de tanta felicidade?
Como lutar contra essa vontade tão grande de estar junto?
Não quero lutar contra essa vontade,
Na verdade quero deixá-la bem livre para se fortalecer
E nos guiar para um rumo tão certo quanto as estrelas que brilham sobre nós...
Pois bem, meu bem,
É chegada a hora de cada um trilhar sua jornada,
Mas enfatizo fielmente que eu não vou esperar tanto tempo
Para nos vermos outra vez..!!
Meu coração pulsa de uma intensidade tamanha
Que não me é permitido esperar tanto
Numa distância ínfima ao que cresce aqui dentro..!
Já não me preocupo com "porque"
Mas simplesmente quero estar ao teu lado
E retornar para teus braços todas as vezes
A cada segundo que se passar da minha vida,
Como nessa noite tão gostosa de Lua sorridente
E estrelas salpicadas por um céu de inverno
Que foi a unica testemunha da nossa cumplicidade sentimental
De uma sintonia tão perfeita e sincera,
Em que até a Lua se escondeu em certo momento
Para que só nós dois pudessemos sentir a sintonia...
Entre dois mundos tão distantes,
Num reencontro inesperado
Eis que surge aquela flor do deserto dentro de cada um
Aguentando o sol e o clima por um momento único,
O momento em que você está comigo...


Igor Padua

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Sorrir

Bem que quando acordamos depois de um sonho, não devemos contar nada...
Uma noite quente como a nossa foi, acabou trazendo um sonho estranho demais...
Depois disso tudo voltou a mudar, meu bem
Cada um olhando para sua direção e esquecendo o outro
Não só eu e você,
Mas eu, você, ele, ela, todos...
Nem precisava dizer, bastou perceber seu olhar
Estava mais claro que o mais claro dos rios
Como aquele rio que vimos correr juntos
No meio do calor de nossos corpos
Que conseguiu se tornar a mais fria das geleiras
Sem nenhum motivo aparente...
Mas eis que eu lembrei de um detalhe simples
Você tem o mesmo defeito que eu
Fazer com que todos que se aproximam sem defesas
Acabem se afastando e rápido,
Pois maior é o seu medo de se envolver
Do que o prazer de uma brisa noturna no calor do verão...
Hoje eu acordei tão bem, tão leve comigo mesmo
Fiz até questão de esquecer você
E voltei a contemplar as coisas simples da vida...
Quero deitar na relva onde piso só pra olhar as estrelas
Só eu e minha bela...
A única que eu tenho mais que certeza que não vai me trazer a mesma confusão que você
Que vai me deixar tão bem e tão leve quanto eu quando acordei essa manhã..!
A cada dia que passa no meio desse furacão de acontecimentos,
Eu dou um passo em direção ao seu esquecimento
Um esquecimento não planejado,
Mas já em execução mortal...
Até onde a roda da vida vai levar tudo isso que passa por aqui?
Sabendo-se que é uma mera parte de um plano bem maior
Por uma felicidade bem maior e esplandecente
Do que sua mera existencialidade aquitetada em meu ser
E tão ancorada em minha essência que começa a naufragar
Dentro de um abismo de esquecimento...
É meu bem, eu começo a perguntar sinceramente ao meu ser interior racional
Será que isso não é exatamente o que você queria?
Onde exatamente você gostaria de estar?

Porque dentro de meus pensamentos pervertidos de criança,
Eu me encontro precisamente no ponto que eu mais anseio
Infelizmente já não é mais dentro de ti...
Sabes o que mais me dói na 'nossa história' ?
É saber que você tem tanta coisa em mãos,
Mas faz questão de guardar na Caixa de Pandora do seu coração
Para que não se de conta do poder dentro dela...
Só me resta sorrir outra vez,
Como quando você me tomava nos braços
E me fazia alcançar o infinito com as mãos,
Agradecendo por mais um dia sol ou uma noite de lua...
Sem meu Sol tão aconchegante,
Apenas amparado e guiado por minha Lua eterna...
Uma caminhada de várias curvas e desvios
Que insisto em percorrer a mesma reta
Onde deixo você mais e mais para trás
Nesse trajeto que só depende de ti me alcançar,
Mas até lá, meu amor,
Simplesmente fico a sorrir...


by Igor Padua

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Adeus

"Eu não sou um enfeite ou parte da sua decoração
E estou longe de ser um troféu que você conquistou em alguma disputa,
Mas me faça o favor de não me comparar com um gatinho...
Não quero ser mais um programa de fim de semana
Ou um mero corpo que passou por sua cama
E queria com todas as minhas forças internas e externas
Que você permitisse alguma coisa diferente do habitual...
Já estou mais do que farto de ter que ser bonzinho todo tempo
Em ser sempre o amigo legal e compreensivo,
Aquele 'bonitinho' e cheio de potencial.
Como infelizmente sei o que sinto por você
E faço questão de demonstrar com cada 'oi' que trocamos,
Sou obrigado a encarar a realidade do mundo e me trancar pra você...
É incrível como mal consigo dar atenção pra todos que me imploram por um mero olhar
Enquanto você não consegue entender o poder que tem nas mãos
A força que um sentimento desencadeia nas pessoas.
Cada segundo que passo ao teu lado é como se o tempo parasse
E quando me entrego de corpo e alma sem pensar nas loucuras do momento
Não existem medidas ou formas de mensurar o que passamos juntos.
Meu medo em perder você sempre foi tão grande
Que fazia eu me fechar para outros olhares que tinham tanto a oferecer
E confesso que me pergunto quais deles não deveria ter permitido
Algo que está em uma bandeja de ouro puro exclusivamente pra você
E é desprezada assim tão facilmente...
Sim meu bem,
Eu sei que o único culpado por isso sou eu
E sei também o quão claro você fez questão de deixar,
Mas não consigo controlar muito bem quando sinto algo assim por alguém...
Gostaria muito mesmo de poder ignorar você,
Apagar completamente sua marca do meu íntimo
E destroçar o que você plantou em mim tão inconsciente...
Quase como uma seda que voa solta ao vento,
Você começa a sumir do meu dia-a-dia e das minhas mensagens,
Mas os elementos primordiais continuam a me esfregar você de todas as maneiras
E mesmo te amando com tanta intensidade assim,
Agora sou obrigado a virar sua página...
Adeus..."


Com os olhos cerrados de dor,
Eu rasgo nossa foto daquela noite tão agradável
E apago meu cigarro no seu rosto
Para não haver mais possibilidade de recaídas
E para que meu coração sofra de uma vez só
Enquanto nosso livro se esvai entre as páginas apagadas pelo tempo...




Igor Padua

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Devaneio desabafador

 Chega a ser um crime contra a humanidade essa distância toda entre nós! Eu me lembro de quando eu podia atravessar a rua e já está ao seu lado. Nossos olhares sempre conversando por horas e horas, mesmo quando era somente um relance... Quando duas almas passam tanto tempo se encontrando por diversas vidas, elas sempre se reconhecem e o amor é inevitável. Chega uma certa hora, um certo momento em que nada mais te faz sentido se uma pessoa assim não está ao seu lado, e nem estou falando de amor carnal.
 Se for pra falar de carne, aí a figura muda, mas o carinho continua sendo intenso e perigoso, sem mencionar tolo... Um dia, por um mero dia eu queria acordar e não pensar nesse amor tão carnal e tão sincero. Por um dia ser apenas 'eu' e não ser obrigado e olhar para as árvores no caminho para meu trabalho e lembrar você, não olhar para o céu, o Sol, a Lua, meu maldito reflexo no espelho e não lembrar de você..!! Todas as minhas forças, minha alma, todo meu caminho trilhado até aqui parece se perder só com sua mera presença e eu tenho tanto medo, sim eu tenho medo, de que meu pressentimento esteja correto, e acredite-me querido, sempre está... Não quero que essa voz incoerente tenha razão nos ventos frios sussurados ao meu ouvido com tanta malícia maquiavélica..! Minha dor só vem de mim, mas e seu medo, de onde vem? Como dizem por aí, "Todos que chegaram, tentaram antes." e eu me pergunto se você tentou, se você se permitiu...
 Quando se ama com a alma, não existe dor, pois é algo recíproco e já vem de outras vidas. Já no terrível caso da carne, sofremos.. Sofremos mais até do que gostaríamos, mas a vida na terra é assim... Já que só nos resta a vida e suas transmutações, só me resta adequar-me a uma esfera entre tantos quadrados que habitam por aqui e por ali. Uma vida inteira passa mais rápido que imaginamos e pouco importa se você é agraciado com 200 anos ou 2 dias, porque o importante é que você também passou por aqui, deixou sua marca, sua energia para os que já estão e os que virão ainda..!

 Peço desculpas pelas palavras mais confusas que o habitual, mas hoje acordei me sentindo 'sujo' e aproveitei essa introspecção para 'desabafar' algumas coisas, antes que destilasse meu veneno tão doce e tão mortal em alguém que não deveria. Como todo escorpião, fui agraciado com o mais mortal dos venenos e com a mais poderosa das curas. Infelizmente só não funciona em mim mesmo, mas sempre encontramos uma pessoa que consegue nos curar, energizar, renovar...
 Ainda bem que já sei quem consegue me restaurar dessa forma e que eu tenho o imenso prazer em curar também. Que venha o dia 27 para que eu consiga encontrar algumas pessoas e descobrir a resposta que me consome há tanto tempo já... Bless it be!

Igor Padua

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Esperança


Por que teu doce olhar me prende tanto?
Com um toque aveludado da sua voz
Um encanto se forma nas formas de nossos corpos
Que mesmo na distância das estrelas,
Consegue manter todo o sentimento intacto
Como na noite que nos tocamos pela primeira vez...
Ainda me lembro da minha cara de bobo
Era como se um anjo tivesse passado por um portal do paraíso
E vindo somente para me ver..!
Sua expressão de desejo mesclada com perigo
E uma leve pitada de fascínio
Ainda está em minha mente
Tão intensa e tão vívida que o Tempo só fortaleceu...
Que tipo de encanto natural é esse teu..?
Que insiste em permanecer nas entranhas do meu mais íntimo
Tão diferente do que já vi antes tantas vezes
Sincero e puro até onde meu horizonte alcança
E ainda assim só enxerga a mesma coisa
Todo dia e toda noite com aquele olhar esperançoso
Não importando a direção que eu olhe
Só consigo enxergar você...
Sua cor de cristal transporta pelo tempo e espaço
Até um passado já tão distante
Que chega a doer dentro do peito que grita.
Como um dia de luz se torna tudo isso que existe em você?
Sua forma de se alimentar do meu ser é algo indescritível
E que você ainda não soube aproveitar...
Ontem deitado em minha cama de estrelas
Meu pensamento não parava de me levar até ti
Eu aproveitava para profetizar minhas orações
Enquanto os conselhos vagavam pelo ar...
Entre olhares que não se cruzam
E bocas que não se falam,
Muita coisa fica clara como a água.
Ainda que em desvantagem pela distância
Insisto em acreditar e dar forças a tudo isso que sinto
Porque nossa vida é feita de sonhos
E sonhos são concretizados pela esperança, querido
Assim como mantenho a esperança em nós...


Igor Padua

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Anjo





Mesmo sem nenhum sentido aparente
Com milhões de vozes ecoando ao meu redor
Ressonando como morcegos sem direção
Qual o ponto de partida?
Até onde você vai para chegar lá?
Onde fica esse "lá"?
Agora que o tempo vai passando
E cada um dos seus medos começa a vir à tona,
Como dormir todas as noites?
Como manter a sanidade no dia-a-dia?
É fácil se perder na razão,
Quando mais nenhuma razão te ampara...
Por que você acha que seus amigos sumiram?
Por que o "te amo" e o "pra sempre" desapareceram
Como uma nuvem que o vento dissipa no céu..?
Nada mais importa agora,
Pois o frio do quarto vazio
Que um dia esteve tão quente e confortável
Com tua presença, tua voz, teu brilho...
Anjo guerreiro de asas prateadas
Alcance vôo somente na hora sagrada
Subindo aos céus transpassando cada nuvem
Cheia de gotas dessa triste realidade...
Pare!
A luz da Lua Cheia brilha em tuas asas
E eu não posso mais ficar aqui sem esse brilho...
Me tome, me pegue, me leve
Mostre-me a direção ideal a seguir,
Pois sinto que você não vai comigo...
Por que sentir tudo isso?
Quem você pensa que é para entranhar
Tão intenso e tão dentro dos meus segredos
Até se tornar parte de mim?!
Odeio me fechar para o mundo inteiro
Só por sua mera lembrança latente em meu esquecido perturbador...
Hoje só consigo pensar em não pensar em você,
Pois tudo ao meu redor acaba me lembrando do "nós"..!
Até mesmo as pessoas que tento sair
De alguma forma me lembram você!
Te odeio por ser tão bom pra mim,
Me odeio por gostar tanto de você,
Nos odeio por estarmos tão longe..!
Por que a distância?
Por que o medo?
Só queria acordar envolvido em teus braços
E te fazer sentir tudo isso que transborda por todo meu ser
Como uma nascente que se transforma em cachoeira
Até desaguar no mais infinito do mar...
Um promessa eterna feita em silêncio
Por almas que se encontram em diversas dimensões
E se unem somente nas mais puras e proibidas fantasias




Igor Padua

sábado, 9 de abril de 2011

Confissões de um Coração Envenenado


Em face de resplandecente mudança
Sonhada, planejada, frustrada e decidida
Percebo o alvorecer de cristalinas curvas coloridas
Mostrando o que há tempos deveria acontecer.
Rezo por um 'não-sei-o-que' terno
Que avistei no mais profundo de sua superfície juvenil
Com um leve toque de experiência
Camuflada por esse sorriso hipnótico
E confesso que um tanto assustador,
Pois consegue me drenar a seiva vital
E aprisionar meu íntimo explosivo
Como quando me perco na mais delicada seda
Dos contornos de suas coxas firmes...
Inacreditavelmente ainda sinto os tremores
Dominarem meu corpo e dispararem meu coração
Como quando estou com você
E nada mais me tem importância ou relevância
Nem mesmo o chão que se abre sob meus pés
Sugando tudo que me cerca...
Não paro de pensar em você
Em como você me faz bem
E na falta avassaladora que sentimos
Nessa distância mortal entre nossas bocas.
Rogo aos céus para que eu tenha forças
Que eu não perca minha fé
Imploro por mais velocidade que a luz
Para estar ao teu lado
Te sentindo, te cheirando, te tocando
Desfrutando do mais doce dos néctares já provados
Anestesiado ao teu mero toque...
É rapaz, acho que você percebeu
Até porque agora não está difícil,
Pois os sinais estão claros demais
E minha semente aguarda para florescer em você.
Perceba o óbvio assustador..!
Depois de tanto tempo afastados,
Me enganando em doses de inocência
E me alimentando de corações destruídos,
Incontestavelmente lhe sussurro
A fórmula do meu poder absoluto
E minha mais simples derrota...
Eu amo você..!


Igor Padua

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Feitiço

Sem os pensamentos certos hoje
Deixando a mente vagar por onde o vento decidir
Espalhando o pólen vivo e doce das flores
Para cada coração cinza de alma cor-de-rosa.
Pulso acelerado forte sob o peito
Enfraquece o néctar que faz o sexo arder
Doce gozo que transborda minha carne
E aflora minha alma devassa..!
Lábios carnudos  que preenchem
O vazio da hiperatividade dos amores,
Mas que se perde face a insanidade juvenil
De um meio sorriso maquiado...
Não menino discreto,
Hoje eu estou livre e sutilmente encantado
Com seu charme de expresão convidativa
Exibida nas curvas incertas de um corpo delicado
E ainda não explorado.
Seu corpo junto ao meu
Transmite tanto calor e desejo
Que faz meu coração disparar
E minha mão percorrer o pouco que posso
Enquanto minha boca anseia desesperadamente pela sua
Somente um toque e o feitiço se acaba, eu sei...
Talvez o castelo seja de areia e venha a ruir
E o príncipe não passe de um sapo,
Mas vale o tentar.
Não por você meu querido,
Mas por mim mesmo..!
Até porque você não tem todo esse poder
E nem tanta influência quanto parece...
Fecho meu caderno sozinho na noite
Encho minha taça com nosso vinho secreto
Trago meu cigarro esquecer
E talvez perder esse desejo enfeitiçado por você...


Igor Padua

quinta-feira, 24 de março de 2011

Um leve devaneio apaixonado

Sim meu  amor, pode se aproximar
Hoje a noite é sua
E lhe foi permitido tudo dessa vez
Só tenhas cuidado em qual porta entrarás,
Pois pode ser a última...
Que caminho seguir?
Essa encruzilhada repetida colorida de verde cintilante
Chamou minha atenção para um detalhe importante
A razão e a emoção são mais que amantes,
São casadas e tem um humor negro..!
Sempre se opondo em nossas vidas
E quase nunca se conciliando...
Sorte nossa, pequena Salamandra
Que é possível encantar os Silfos...
Pegue meu caldeirão e prepare-se para a mistura
Enquanto eu misturo as ervas e recito o feitiço,
Você dança com seu corpo de mola ao redor da fogueira
Alimenta o fogo e semeia a terra,
Eu aumento o vento enquanto uso o Espelho D'Água no caldeirão.
Agora despeje tudo em vidrinhos azuis e vermelhos
Vamos sair correndo e distribuindo para todos
Distribuir um pouco de doces desejos amargos de uma paixão nova
Com todo aquele calor, aquela fúria, aquele carinho...
Só você sabe como me levar as nuvens sem encantar um Silfo,
Como sentir o arder do desejo sem me deitar com uma Salamandra...
Como eu quero saciar esse meu desejo pelo mel que habita em sua boca
Essa vontade louca de estar sempre ao seu lado
Te tocando e te abraçando bem apertado
Somente olhando para sua expressão de felicidade
Enquanto estamos juntos e eu fico te mimando...
Sim, eu quero você muito mal acostumado,
Porque assim eu confirmo o que já sei
Que eu tenho você só pra mim..!




Igor Padua

sábado, 19 de março de 2011

Normal


Sabe aquele gostinho de tristeza na garganta,
Mas que na verdade é só uma lembrança gostosa?
Como uma lareira no inverno,
Tão aconchegante que faz vc se sentir 'normal'
No meio do turbilhao de acontecimentos e pessoas que te cerca...
A Lua cheia hoje será a maior em 20 anos
E eu estarei aqui sentado com minha menina
Invocando as divindades e elementais presentes
Dançando em volta da fogueira de garrafas caídas
Entoando orações em forma de músicas modernas,
Com símbolos entalhados e pintados nos moldes
Refletindo o cristal da alma entre cores de auras.
O arco-íris que cruza o céu noturno entre estrelas
É apenas uma demonstração do poder que guardamos
Da vontade de mudar o mundo com um simples olhar,
Com um toque de nossas mãos, o calor dos nossos braços
Entre laços de sangue em um cálice de ervas finas e guinadas
Evocamos as forças mais ocultas sob a proteção da Lua hoje
Suplicamos por um pouco de paz para um mundo tão cego e careta
Vidas inteiras orando em várias línguas para a mesma fonte...
Acenda o fogueira e prepararemos uma poção especial hoje
Despeje todo vinho do seu sagrado,
Junte com as ervas colhidas e guinadas e mexa bem
Acrescente o ópio dos temperos delas
E o doce do absinto deles,
Agora deixe descansar em fogo baixo por alguns minutos.
Prepare os cálices com cruzes e estrelas desenhadas
Sirva ainda morno para cada um que encontrares hoje na rua
Com um biscoito de erva doce ou canela...
Espalhe o máximo de 'normalidade' hoje
Para que o mundo inteiro se lembre que somos todos iguais
Uma fração de cor do mesmo arco-íris,
Uma estrela da mesma galáxia,
Um mesmo grão de areia desse deserto...
Isso tudo porque hoje eu acordei e me sentir normal
Com desejo de mudanças e inovações
Salpicadas de lembranças gostosas e adocicadas...



Igor Padua